17 de novembro de 2011

Resenha: Tudo aquilo que nunca foi dito

Editora: SUMA de letras
Autor: Marc Levy
ISBN: 9788581050089
Números de páginas: 241

Em Tudo Aquilo Que Nunca Foi Dito, Levy aborda a relação conflituosa entre um pai e uma filha. Poucos dias antes do seu casamento, Julia recebe um telefonema do secretário de seu pai. Como ela já tinha previsto, Anthony Walsh - empresário brilhante, mas pai distante - não poderá comparecer à cerimônia. A ausência de seu pai em momentos importantes de sua vida da filha não é novidade para Julia. Mas pela primeira vez, a personagem tem que reconhecer que ele tem uma boa desculpa: Anthony Walsh morreu. A ironia amarga da situação, com Julia forçada a adiar o casamento para enterrar o pai, faz aquela parecer mais uma das peças pregadas pelo destino na difícil relação entre os dois. Mas, no dia seguinte ao funeral, ela descobre, na forma de um enorme pacote deixado na porta de sua casa, que aquela não tinha sido a última surpresa de seu pai - e parte na viagem mais extraordinária de sua vida, uma oportunidade para que os dois digam um ao outro, enfim, tudo aquilo que nunca foi dito.

Uma designer realizada, tentando levar a vida da melhor maneira possível, com um amigo chamado Stanley, que fala tudo que pensa. Essa é a vida de Julia Walsh, que se ver obrigada a adiar seu casamento por causa do pai, ou melhor por causa da morte do pai. Pai este, que sempre esteve ausante na vida da filha. Ela não consegue esquecer das longas viagens que o pai fazia quando ela era só uma criança. Com raiva do pai, e revoltada com a situação, por achar que mais uma vez Anthony fazia de propósito, escolhendo até o dia para morrer, Julia não ver a hora de tudo isso acabar. 
Mas no dia seguinte ao funeral, uma enorme caixa é deixada no meio de sua sala, e ao abri-la, Julia tem a oportunidade de dizer, e ouvir tudo aquilo que nunca foi dito. Tem a chance de cicatrizar as feridas, voltar ao passado, e reviver novamente seu primeiro amor.
O que você faria se tivesse a chance de mudar alguma coisa, dizer algo que não foi dito, sei lá, uma segunda chance... você embarcaria nessa viagem?
Comprei esse livro em um passeio que fazia no shopping, li a sinopse e gostei. Mas nunca imaginei que encontraria em suas páginas tanta mágia, e ao mesmo tempo tantas respostas. Tudo aquilo que nunca foi dito, te pega de supresa de uma forma que você não pode imaginar. Cada página que eu lia, ficava mais ansiosa e com vontade de ler. Ele te faz pensar no futuro, no agora, no antes, nas pessoas que amamos, no tempo perdido, nas palavras não ditas, e no valor que a vida tem.
É impressionante como o autor deixa claro o amor dos pais pelos filhos, mesmo quando estão distantes, mesmo quando os filhos culpam seus pais, por tudo que não deu certo em suas vidas.

"Você me acusa de ter sido ausente; pode imaginar o quanto é terrível quando os filhos vão embora? Já iamginou o gosto dessa ruptura? Vou contar o que acontece, a gente fica ali como um idiota, na soleira da porta, vendo você partirem, se convencendo de que é preciso incentivar essa separação, se alegrando com a irresponsabilidade que anima vocês e nos arranca um pedaço do ser. Fechada a porta, é preciso reaprender tudo; preencher os cômodos vazios, não controlar o barulho dos passos, esquecer os estalos tranquilizadores da escada quando chegavam tarde e podíamos finalmente dormir sossegados, passando no entanto a ser preciso ir buscar o sono em vão, já vocês não estão mais prestes a chegar.Viu, minha Julia, mesmo assim, pai ou mãe nenhum se vangloriam e é isso amar, sem que se tenha outra escolha, uma vez que nós amamos vocês." Pág: 203

Essa parte do livro me tocou bastante, me fez pensar em toda minha vida, minha relação com meus pais. Sempre penso na saudade que sinto deles, mas nunca havia pensado no que eles passaram, sentiram, quando resolvi sair de casa e viver minha vida.
Também dei muita risada com esse livro, pois ele não deixa de ser engraçado. É uma leitura leve, agradável, que ajuda a gente a entender várias coisas da vida, que por mais que tentamos não consiguimos entender. Talvez você goste, talvez não, mais acredite, vale a pena ler este livro. Ele me prendeu a atenção desde seu primeiro parágrafo, e pra falar a verdade não me falta vontade de ler ele novamente. (Risos)

Recomendo.

12 comentários:

  1. Amei a resenha, li algumas resenhas e tive vontade de comprar, mas acabei não comprando. E sua resenha acabou de me deixar mais pobre, porque vou ter que comprar este livro...rsrs
    bjos

    Jack
    www.mybooklit.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Pollyanna,

    obrigada pelo retorno, se gostar de poesia tenho um blog só disso: http://somdocoracao.wordpress.com/

    ResponderExcluir
  3. UAL, muito boa a resenha, deu vontade de ler hahaha Parabéns !

    http://papeldeumlivro.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Gostei da sua resenha, esse livro parece daqueles que te passam uma lição, e que te faz refletir bastante, gosto de livros assim!
    Quero muito ter a oportunidade de lê-lo, já ouvi muitos elogios bons da escrita desse autor!
    É a primeira vez que visito o seu blog, ficaríamos super felizes com a sua visita
    o nosso blog também, te convido para conhecê-lo ^^

    Beijos!
    Elidiane - Leitura entre amigas
    leituraentreamigas.blogspot.com

    ResponderExcluir
  5. Olá, amiga!!!
    Tô passando p informar da nova promoção Vou-de-Blog, para os blogs parceiros! A partir de janeiro estarei fazendo sorteio para blog destaque do mês, os ganhadores terão uma divulgação especial durante todo o mês. Veja as regrinhas: http://voudeblog-promos.blogspot.com/2011/11/promocao-especial-para-parceiros-vou-de.html
    Bjoks!
    Lu

    ResponderExcluir
  6. Estou louca pra ler esse livro! Tenho visto que a maioria dos que leram estão gostando :)

    ResponderExcluir
  7. Oi amiga, tem selinho pra vc lá no meu blog http://decorflorindounhas.blog.... bjsss

    ResponderExcluir
  8. Oiee
    Adorei a resenha, sou louca pra ler os livros do Marc Levy. Tô enrolando desde 'E se fosse verdade'.
    Amei o blog, tô seguindo *-*
    E obrigada pela visita lá no meu :)

    BeijOs


    http://jeioliveira.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  9. Olá Pollyana, é a primeira resenha que leio sobre esse livro, já tinha visto a sinopse, mas ainda não tinha me encantado.
    Realmente, os filhos não pensam na dor dos pais quando eles saem de casa, pais se sentem abandonados desde o primeiro dia que tem que se separar dos filhos, desde a ida pra escola até a primeira viagem que revela que não são os filhos que dependem de você, mas você que depende dos filhos.
    Pela sua resenha percebi que deve ser uma ótima reflexão para pais e filhos e já entrará na minha lista de 'vou ler'.
    Ótimos textos, seu blog é excelente.

    Beijos
    http://leitoraincomum.blogspot.com

    ResponderExcluir
  10. Oie!! Gosto muito dos livros do Marc Levy. Esse já está na minha lista. Adorei seu blog e já estou seguindo.

    Beijos!

    Máh - Crazy for books.

    ResponderExcluir
  11. Você não vai se arrepender Fernanda! O Livro é D+...

    Obrigada pessoal...

    ResponderExcluir
  12. Ai, eu já morro de vontade de ler os livros do Marc Levy, mas nunca tomei vergonha na cara, rsrs.
    Essa resenha piorou mais ainda a minha situação, hahaha! Adorei, fiquei curiosíssima! Parece ser uma história MUITO linda!
    beijão!

    ResponderExcluir